Siga o blog por E-mail

domingo, 2 de junho de 2013

O SEGUNDO AMOR

Que saudades de escrever aqui.. saudades dos textos, dos devocionais, dos textos de amigos, de tantas coisas que aqui compartilhei...

Bom, a boa noticia é que ESTAMOS DE VOLTA! O Blog-RIOS estava numas férias por diversos motivos, e o principal foi a formação do meu mais novo trabalho com decoração de eventos (http://habacuki.blogspot.com.br/) que requer tempo de planejamento, tempo nas artes do biscuit, designer gráfico, marcenaria e tudo mais, mas entre tantas coisas uma fator me fez lembrar da importância de escrever no blog... aqui me entendo melhor quando paro para desenvolver algum assunto, então vamos lá:

O SEGUNDO AMOR
Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Apocalipse 2:4
O que é primeiro amor? O que fazer quando o primeiro amor se foi? Quais as características do segundo amor?
Essas são perguntas que me ecoaram os ouvidos nos últimos dias, onde vi que o primeiro amor era o calor da paixão que eu tinha por Jesus quando tive meu encontro com Ele, mas que em paralelo havia um segundo amor, infelizmente o atual, um amor que é fruto do tempo, um amor que vive as sobras do meu dia, porque um apaixonado faz:
Canções de amor/ Poemas/ Busca conhecer do outro/ Quer estar junto/ Quer impressionar/ Agrada/ Serve/ Age em amor!
Uma boa alto-análise e percebi que já não agia mais como antes, que esta paixão realmente havia ido embora e até mesmo o desejo de agradar meu Amado já havia sido trocado pela necessidade de satisfazer minha 'expectativa gospel', sim, meu maior desejo era/é cumprir meus alvos, era 'fazer' mais PARA Deus, e não fazer mais EM Deus... O tempo levou a essência, o primeiro amor se foi e ficou o frio do SEGUNDO AMOR, e o que fazer?
Realmente paixão é o combustível da nossa entrega, se ela se vai, a entrega fica comprometida, mas romper do segundo para o primeiro amor é uma questão de atitude. Deus disse: Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras (Apocalipse 2:5), observe que tudo começa num processo de analise, precisamos LEMBRAR de onde caímos e nos arrepender, então lá vamos nós:
Eu orava de madrugada, geralmente as 3
Eu jejuava cumprindo com exito os horários estipulados
Eu gastava tempo em longas conversas com o Espírito Santo, em lugares improváveis, em horários improváveis
Eu jejuava com meu estoque secreto de doces sempre cheio e disponível, e eu não exitava em ir lá de tempo em tempo para ver tudo que eu não estava comendo por um proposito de intensificar minha vida com Deus, inclusive, certa vez (no começo da minha conversão), abri um saquinho de suspiros e fiquei cheirando, com uma vontade tremenda de comer (risos), mas meu desejo em jejuar para ser mais sensível a Espirito era maior (Pessoal da célula, não deem risadas denovo)
Eu adorava muito mais focado no Senhor do que no tom, na busca/briga intensa pela linha do tenor, na preocupação com a afinação
-Perdão Senhor, sei que o Senhor é perfeito e quero que esteja no centro. quero me entregar como antes, como no primeiro amor. Quero quebrar o gelo desse segundo amor com as práticas de antes, com a sede, com o foco, com a visão que me cativou, a visão dos Seus olhos me convidando ao AMOR. Vou comprar um saco de suspiro, vou jejuar olhando para ele, mas orgulhoso de estar (infantilmente) renunciando um saco de suspiros por mais de Ti. Quero aquela inocência, aquela busca, aquela sede. Nas madrugadas o despertador voltará a anunciar que são 3 horas e lá nos encontraremos. De um lado eu com o gelo do segundo amor, mas com a sede de reviver nossa paixão, e do outro o Senhor, dizendo: VOLTA a intimidade!